Banner 468 x 60px

 

6 de julho de 2014

Projeto de Antropologia da UFPA fará escavações no Engenho do Murutucu - Portal UFPA

0 comentários

O Projeto Sítio-Escola Engenho do Murutucu: uma Arqueologia dos Subalternos, do Programa de Pós-Graduação em Antropologia (PPGA), do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal do Pará (IFCH/UFPA), realizará uma escavação no sítio do Engenho do Murutucu. A atividade, coordenada pelo professor doutor Diogo M. Costa, será oferecida como uma disciplina prática do PPGA, tendo a participação de alunos de graduação e pós-graduação de áreas afins.

As escavações serão realizadas no período de 7 a 30 de julho. Mas, antes disso, haverá um treinamento para a escavação, no auditório do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) da UFPA, no dia 4 de julho. Para ter acesso ao site do projeto e ler mais sobre as escavações e o Engenho de Murutucu, acesse AQUI.

Missão - O professor Diogo Costa explica que o objetivo do projeto é estabelecer um programa de investigação científica em Arqueologia histórica, por meio da pesquisa de longa duração dos remanescentes materiais no sítio. “O objetivo é tornar possível o estudo dos espaços e vestígios da vivência dos diferentes grupos que compunham o cotidiano do Engenho do Murutucu. Para isso, são realizadas pesquisas arqueológico-históricas nos locais de moradia e trabalho, assim como o estudo dos remanescentes da cultura material relacionados direta ou indiretamente a esses diversos grupos”, pontuou.

Localizado no município de Belém, à margem esquerda do igarapé Murutucu, afluente do rio Guamá, o Engenho Murutucu será campo de estudos e treinamento no PPGA e demais cursos de graduação e pós-graduação da UFPA. “As atividades práticas da Arqueologia histórica tanto em gabinete como em campo e em laboratório são ações fundamentais para o treinamento e a especialização de alunos nesta área da Amazônia. E, no caso do sítio Murutucu, a exploração científica está associada com a instalação de um sítio-escola no local, que é a primeira etapa para um plano de gestão mais completo na área”, explica o professor.

Análise da cultura material – As análises são desenvolvidas pelo Projeto Sítio-Escola Engenho do Murutucu, com o apoio do Grupo de Pesquisa em Arqueologia Histórica Amazônida (GAHiA) da UFPA.

O professor Diogo explica que o GAHiA tem o objetivo de estudar os vestígios da cultura material de diversos segmentos sociais, étnicos, gênero e geração presentes em sítios arqueológicos na Região Amazônica. “O GAHiA tem interesse em integrar os projetos de pesquisa ou extensão já existentes ou em andamento futuro na Universidade, partilhando, assim, seus conhecimentos. Outro ponto importante é oferecer subsídios para a criação de projetos aos alunos de graduação e pós-graduação, contribuindo para a formação de pesquisadores e temáticas de pesquisa sobre Arqueologia histórica na Universidade”, diz.

“Além disso, o GAHiA, por meio de ações de retorno nas comunidades pesquisadas, tem o intuito de popularizar o conhecimento produzido, abrindo espaço para ações de extensão, bem como para engajamento social na pesquisa”, complementa.

Discussão e troca de experiências – Com o objetivo de apresentar os pesquisadores que atuam na área de Arqueologia histórica no Brasil e no exterior, será realizado o Colóquio de Arqueologia Histórica na Amazônia, promovido pelo GAHiA e pelo Projeto Sítio-Escola Engenho do Murutucu: uma Arqueologia dos Subalternos. “Além de apresentar os profissionais para o público acadêmico, o colóquio tem o objetivo de promover um espaço de discussão e troca de experiências sobre o assunto”, comenta o prof. Diogo.

O Colóquio de Arqueologia Histórica na Amazônia foi realizado entre os dias 1 e 3 de julho de 2014, no Auditório Setorial Básico da UFPA. Mais informações aqui.

Texto: Taymã Carneiro – Assessoria de Comunicação da UFPA
Fotos: Arquivo / Projeto
Fonte: Portal UFPA

0 comentários :

Postar um comentário