Banner 468 x 60px

 

11 de abril de 2013

Estréia do documentário Louceiras em São Paulo/SP

0 comentários
Nesta sexta-feira (12/04), as 23h no Cine Livraria Cultura do Conjunto Nacional em São Paulo/SP, estréia o documentário Louceiras da diretora Tatiana Toffoli. O documentário faz parte do programa do 18º Festival Internacional de Documentários - É Tudo Verdade!

Sinopse: O filme Louceiras acompanha o dia a dia das ceramistas do grupo Kariri-Xocó, aldeia situada no Baixo São Francisco, em Alagoas. Essas índias transformam o barro em panelas e potes, mantendo a tradição imemorial das mulheres da aldeia. A cerâmica e “o segredo do Ouricuri” são a base de identidade do grupo, de sua permanência e persistência.
Texto de Tatiana Toffoli, diretora do filme:
Este documentário faz parte da iniciativa “Fulkaxó, ser e saber Kariri-Xocó”, um projeto maior que nasceu dentro do SESC SP, na Gerencia de Programas Socioeducativos, sob coordenação de Marina Marcela Herrero, com o principal intuito de resgatar e documentar uma parte remanescente da cultura Kariri-Xocó. Meu primeiro contato com as louceiras foi através das imagens da pesquisa e quando cheguei à Aldeia, em Alagoas, tinha a intenção de escolher somente três louceiras para participar do filme. Mas, assim que cheguei e as encontrei todas juntas, conversando animadamente, com aquela intimidade que nasce da longa convivência desde a infância, percebi que eu não cabia nenhuma escolha, que elas eram as louceiras e o melhor seria não interferir muito. E assim foi, com a parceria do diretor de fotografia, Hélcio Alemão Nagamine, fomos nos integrando à paisagem do dia a dia delas, fazendo o mínimo ruído possível, prestando a máxima atenção a tudo que se passava ao redor. Assim, conseguimos registrar momentos muito bacanas do cotidiano das casas das louceiras e perceber como fica clara a raiz indígena destas famílias. Foi uma experiência muito boa, sinto muitas saudades destes dias de convivência com estas mulheres cativantes, fortes e decididas, que passaram a vida tirando o sustendo do barro, assim como suas mães, avós e bisavós.







0 comentários :

Postar um comentário