Banner 468 x 60px

 

23 de março de 2013

Pesquisa do IPHAN revela a importância do Forte Cumáu, no Macapá - IPHAN

0 comentários

Uma pesquisa realizada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Amapá (IPHAN/AP), que revelou a importância do Forte Cumáu na história do Brasil, será apresentada no próximo dia 26 de março, no Seminário “Forte Cumaú: História, Arqueologia e Comunidade”.
Palco da complexa luta entre potências europeias ao longo dos séculos XVII e XVIII na tentativa de conquista da região amazônica, o Forte localizado na foz do Igarapé da Fortaleza foi fundado por ingleses em 1631. No ano de 1688 foi destruído pelos portugueses, mas reconstruído posteriormente pelos lusitanos. Porém, em 1697, o espaço foi tomado pelos franceses e então abandonado, restando somente suas ruínas.
Apesar de não indicar ter sido um sítio histórico de demasiada importância em seu tempo – talvez por sua curta duração quanto por suas pequenas dimensões - registra-se seu papel na defesa das fronteiras, na garantia da presença portuguesa em terras brasileiras e no povoamento da região, fazendo parte um sistema de proteção do território brasileiro na época colonial.
Pela pesquisa histórica (levantamento bibliográfico e fontes cartográficas, incluindo a cópia encontrada de uma Planta do Forte de 1765), foi possível confirmar os remanescentes encontrados no Bairro Igarapé da Fortaleza como sendo os do chamado Forte Cumaú. Fato este desconhecido até a realização do estudo. Esta confirmação também pôde ser corroborada pelas escavações arqueológicas que inclusive revelaram o seu sistema construtivo, conhecido como “taipa de formigão”.
A pesquisa demandada pela própria comunidade do bairro teve iniciativa do IPHAN e coordenação do IEPA (Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológica do Estado do Amapá). Foram 11 meses de estudos que contou com a participação de uma equipe de pesquisadores, estudantes e moradores do bairro Igarapé da Fortaleza.
No Seminário “Forte Cumaú: História, Arqueologia e Comunidade” serão apresentados os resultados dos quatro eixos de pesquisa: História, Arquitetura, Arqueologia e Divulgação, contribuindo assim para a difusão do conhecimento e para o envolvimento da sociedade civil na valorização deste patrimônio histórico e cultural do Estado do Amapá.
As inscrições são gratuitas e podem ser feitas com antecedência no endereço Núcleo de Pesquisa Arqueológica do IEPA, localizado na Av. Feliciano Coelho, 1509. Informações pelo telefone: 3212 5342 ramal 238.
Veja o Convite [Aqui]

Serviço:

Forte Cumaú: História, Arqueologia e Comunidade
Data: 26 de Março de 2013, das 14h às 18h.
Local: Auditório Waldomiro Gomes do Museu Sacaca (Av. Feliciano Coelho, 1509)


Confira a Programação:
14h: Abertura Oficial do Evento 
Palestra 01: A história do Forte Cumaú – Dr. Augusto de Oliveira (IEPA)
Palestra 02: O Forte Cumaú e sua preservação – Msc. Eloane Cantuária (UNIFAP)
Palestra 03: O tombamento de bens arqueológicos – Sr. Djalma Santiago (IPHAN)
16h: Coffe Break
Palestra 03: Arqueologia do Forte Cumaú – Dr. Fernando Marques (MPEG)
Palestra 04: Memória e patrimônio: De quem é o Forte Cumaú? – Msc. Mariana Cabral (IEPA)
Debate: Dr. Augusto de Oliveira (IEPA), Dr. Fernando Marques (MPEG), Sr. Djalma Santiago (IPHAN-AP), Msc. Eloane Cantuária (UNIFAP), Msc. João Darcy de Moura Saldanha (IEPA).



0 comentários :

Postar um comentário